7 dicas para um bom tryout

RODRIGO MARIANO
EQUIPE CHEER ONE CHANNEL

A pré-temporada do cheerleading brasileiro tem início junto com o ano novo. É uma época de reforçar resultados e incorporá-los a identidade dos ginásios e dos próprios atletas. Mas nem tudo é consolidação. Com o encerramento da temporada de campeonatos no segundo semestre do ano anterior, os primeiros meses do ano são de renovação. Essa é a época da dança das cadeiras, da troca de atletas, da mudança de equipes e uniformes. Mais que isso, é o momento de receber novos atletas, de ver o esporte crescer. É a época dos tryouts.

O primeiro tryout no Rio de Janeiro começa esse fim de semana (veja matérias sobre todos os tryouts all star aqui). Muitos outros virão pelos próximos meses em todo o Brasil, com times all star e universitários recebendo atletas (e futuros atletas) para as seleções daqueles que levarão o cheerleading à frente em 2018. Mas o que esperar de um bom tryout? O que observar no ginásio e o que esperar dos técnicos? Como escolher onde ficar? A gente conversou com quem entende e tentou simplificar pra ajudar quem é novo e quem nem é tão novo assim no esporte. Essas são as dicas do C1C para um bom resultado nos tryouts.

  1. Esteja disposto a ficar

Muita gente faz tryouts apenas para ver como é a experiência de treinar com outros times e não há nada errado nisso. O problema é quando esse é o único objetivo do atleta, quando não há possibilidade dele ou dela ficar de fato no time. Lembre-se que a sua presença toma tempo do coach e que por mais que um truyout lotado seja interessante para o ginásio, o evento tem objetivo claro: montar as equipes para a temporada. Se você definitivamente não tem como estar em uma delas, talvez seja legal reconsiderar.  

  1. Sinta a vibe do ginásio

A verdade é que o cheerleading nacional vem avançado de forma uniforme e coesa nesses dez anos de existência. A maioria das equipes nasceram do tronco histórico Twisters/Rio Allstars e trazem a tradição e o aprendizado construído ao longo dos anos. Como resultado, todos estão minimamente nivelados e não há grandes vantagens ou desvantagens práticas em termos técnicos em nenhum dos ginásios. Ainda assim, os ginásios são muito diferentes no que diz respeito à cultura. Cabe ao atleta, então, sentir a vibe do ambiente. É com essas pessoas que você passará o resto do ano. Elas estarão do seu lado no tablado. Vocês viajarão juntos. Elas te levantarão ou serão levantadas por você. Então, sinta as personalidades e os métodos aplicados. Sinta a cultura do time e sua postura em relação ao esporte e a outros times. Sinta, principalmente, a postura e a metodologia do coach. Se certifique de que está entrando em um programa que condiz com a sua personalidade.

  1. Vista-se de acordo, coma bem e beba água

Acredite, desmaiar no primeiro contato com o time não é uma das melhores formas de se apresentar. Coma bem antes do treino. Opte por comidas leves. Se hidrate bastante antes e durante o tryout. Uma garrafinha é imprescindível. Leve a sua e mantenha-a sempre cheia. Opte por roupas leves, típicas da pra´tica de qualquer esporte. 

  1. Analise as distâncias (ou não…)

Essa é, talvez, a maior expressão da face prática da coisa toda. O fato é que, se você for aceito em um ginásio e colocado em um de seus times, irá treinar semanalmente, uma ou duas vezes por semana no local onde as atividades são conduzidas. Por isso, é sempre bom lembrar que você vai ter que se deslocar da sua casa até o local de treino com alguma frequência e isso torna as distâncias e a localização importantes. Seja sincero consigo mesmo e com o coach do ginásio: Você vai conseguir ir sempre, apesar da distância de casa? Há duas ocasiões em que a resposta para essa pergunta é sim. Na primeira, o atleta mora razoavelmente perto e não será um esforço se deslocar até o treino. Na outra, o atleta irá se comprometer de fato e estará presente ainda que more do outro lado do planeta. Ele se identifica com a equipe, com a cultura e as políticas do time (ver dica nº 2) e isso faz a distância ser irrelevante. Então, fique atento à distância, passagens e custos envolvidos, mas escute o que a sua intuição diz.

  1. Conheça os demais atletas

O cheerleading é um esporte razoavelmente jovem no Brasil, completando a sua primeira década esse ano. Justamente por isso, ainda é pouco conhecido, caro e enfrenta dificuldades que outros esportes mais estabelecidos não enfrentam. Nesse cenário, o apoio da equipe, se sentir parte de um grupo que oferece suporte, o sentimento de pertencimento é fundamental. Esteja aberto a novas amizades já no tryout. Ali, algumas relações já começam a se estabelecer. Vá disposto a escutar, a trocar informações, a pedir dicas e escutar opiniões. Enturme-se. Independente de para onde aqueles atletas forem, invariavelmente vocês terão contato ao longo da pré-temporada e, principalmente, na temporada de campeonatos. Crie uma boa primeira impressão.  

 

Essas são as dicas para passar tranquilo pela fase dos tryouts e não errar na hora de escolher onde ficar. Para o momento, no entanto, é insuficiente. O cheerleading está crescendo e muitos novos atletas vêm atendendo aos tryouts e isso nos força a adicionar duas dicas bônus da equipe Cheer One Channel especialmente para os recém-chegados. Então lá vai.

 

  1. Não se envolva em clubismos

Provavelmente a primeira coisa que vem à cabeça ao pensar em esporte é o futebol. É natural. Mas isso não é cheerleading. As relações no esporte estão mais próximas do carnaval, para citar outra coisa tipicamente brasileira. Atletas de times diferentes não só convivem como se gostam de fato. É natural que em eventos de um ginásio, vários atletas de outros ginásios sejam convidados e compareçam. A maioria esmagadora dos coaches dos times de hoje vieram de um passado comum quando todos vestiam o mesmo uniforme. O clima geral é de respeito e de torcida pelos adversários e é saudável que continue assim. Existe o clubismo? Existe aqui e ali um sentimento de superioridade que transborda? Existe. Mas a gente aconselha fortemente que você não se envolva nisso. Mantenha o esporte e a sua mente saudáveis.

  1. Respeite os mais velhos

Sua mãe já te dizia isso, certo? Pois é. Ela estava certa. Nesse caso, porém, não estamos falando de idade, mas de precedência. O cheerleading nacional nasceu de garra e dedicação quase insana de um grupo de atletas. Muitos deles deixaram o esporte, mas muitos deles ainda estão por aí, liderando equipes e empurrando o nível do esporte no Brasil cada vez mais. Faça o possível para aprender com essas pessoas e respeite a história construída ao longo dos anos porque ela é mais que uma história de experiência pessoal, é a própria história do esporte que hoje também é seu.

 

Esperamos que as dicas te ajudem a passar tranquilamente por esse período de aumento de times, de mudança de ares e de chegada de novos talentos. Se você já é atleta, está passando por apenas mais um momento típico da pré-temporada. Se você acabou de chegar, acostume-se. Acontecerá sempre. Seja como for, aproveitem. O tryout é o primeiro passo de uma longa jornada. Saboreie cada parte dela.

Esquecemos algo? Compartilhe a sua experiência nos comentários! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram did not return a 200.