Carta de apoio: O cheerleading é um esporte

Chegou ao nosso conhecimento, na noite de terça-feira, 06 de março, que a atlética do curso de medicina da Universidade Federal do Paraná estipulou preços diferentes para “atletas” e “cheerleaders” em seus pacotes para a participação em um campeonato, com uma diferença de R$ 60,00. Segundo fomos informados, os responsáveis pela atlética  declararam não reconhecer o cheerleading como esporte e, por isso, cheerleaders não seriam atletas.

O Cheer One Channel, representando ninguém além de sua própria equipe, vem lembrar aos envolvidos que o reconhecimento de esportes não cabe às atléticas ou campeonatos universitários. Há entidades de nível mundial responsáveis por isso e elas já se declararam sobre o assunto. Aos fatos:

– Em 2012 o Sport Accord reconheceu o cheerleading como esporte. 

– Em dezembro de 2016 o conselho executivo do International Olympic Comitee votou e reconheceu o cheerleading como um esporte. O ICO também concedeu o Provisional Recognition ao International Cheer Union (ICU). O cheerleading estava entre outros 17 pedidos de reconhecimento naquele ano. Além do cheer, apenas um outro esporte foi reconhecido: o muaythai.

– O reconhecimento pleno e inclusão do cheerleading como Esporte Olímpico e sua inclusão nos jogos deverá vir até 2020, como parte da Agenda 2020 do presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach.

– Em dezembro de 2017, a Global Association of Internacional Sports Federations, entidade que congrega federações internacionais de esportes recebeu a International Cheer Union (ICU) como membro pleno.

– O ICU congrega mais de 100 federações nacionais, com cerca de 4,5 milhões de atletas inscritos.  

Dessa forma, entendemos que o cheerleading ser ou não um esporte não é um debate válido, uma discussão realista, uma vez que o mesmo já é internacionalmente reconhecido pelas autoridades do esporte mundial.

O Cheer One Channel não tem como objetivo apenas informar e entreter. Colaborar com o crescimento do esporte no Brasil e no mundo é um compromisso nosso. É por isso que estamos ao lado do Mustacheer, time da Universidade Federal do Paraná que encabeça a reação contra a atlética e de todas as dezenas de times universitários e All Star que em todo o Brasil repetiram o óbvio: cheerleading é um esporte.

Nos próximos dias procuraremos a atlética para oferecer informações e qualquer tipo de ajuda, bem como um espaço para responder sobre o ocorrido, se houver resposta para a postura tomada até agora. Aos times diretamente afetados pelo acontecido, lembramos que, sendo o cheerleading um esporte reconhecido internacionalmente e sendo um campeonato um evento privado aberto ao público, pode ser considerada ilegal a cobrança diferenciada, bem como a discriminação inclusa na diferenciação entre atletas e cheerleaders. Não deixem de buscar os seus direitos.

Contem com o nosso apoio.

 

 


Equipe Cheer One Channel   

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram did not return a 200.