Rebellion All Star anuncia volta aos treinos em meio à quarentena

O Paraná será o primeiro estado a retornar com os treinos presenciais de atividades relacionadas ao cheerleading. A reabertura do ginásio está de acordo com a legislação vigente e as recomendações de entidades nacionais

O anúncio foi feito por João Felipe Iamarino, head coach do ginásio, via Instagram: o Rebellion, ginásio de Ponta Grossa, retomará as atividades presenciais com treinos de uma hora, três vezes por semana. Inaugurado em 14 de março, o Rebellion chegou a fazer tryout no dia 15, mas foi obrigado a fechar em 19 de março por causa da pandemia.

Segundo João Felipe, a reabertura será feita com cuidados especiais para evitar a contaminação dos atletas. Entre as medidas anunciadas pelo coach estão o uso de álcool-gel na entrada e na saída do ginásio, colchões separados para cada atleta e a higienização do espaço a cada 30 minutos. Qualquer tipo de stunt está proibido. O foco será os jumps, tumbling, condicionamento físico e flex, que não exigem contato entre os atletas.

O head coach do ginásio – que teve seu novo espaço próprio inaugurado apenas cinco dias antes do fechamento dos estabelecimentos por causa da pandemia do novo Coronavírus – explica que as aulas foram adaptadas para o momento visando garantir a segurança dos atletas. “Tudo foi adaptado para que não haja contato físico. Nosso treinador de tumbling não vai tocar nas pessoas. Então, por exemplo, se uma pessoa é realmente muito iniciante no tumbling, ela vai fazer mais exercícios de consciência corporal para, a partir daí, evoluir para um rolinho para frente e para trás, uma estrela. Todos os colchões vão ficar em um perímetro de vinte e cinco metros quadrados cada, como determina a prefeitura. Respeitando esse espaço, a gente consegue comportar até dez pessoas”, explica o coach.

O Rebellion publicará vídeo explicativo amanhã, 01 de maio, mostrando o posicionamento dos colchões e como será feita a higienização do espaço. “As pessoas não vão poder chegar antes do horário, não vão poder permanecer no espaço, não vão poder levar acompanhantes. Seguiremos as recomendações à risca e sem exceções”, conta João. Os treinos serão abertos também para atletas que não são do ginásio.

A decisão polêmica, que repercutiu fortemente nos grupos ligados ao esporte, tem como base um decreto municipal (Decreto n 17.258 de 22/04/2020) no qual o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel Cruz de Oliveira, que autorizou o funcionamento de igrejas, condomínios, galerias, academias, clubes e associações recreativas exclusivamente para atividades esportivas individuais. Para voltar a funcionar, o ginásio deverá passar por análise prévia do plano individual de funcionamento para a autorização do Comitê de Gerenciamento e da Vigilância Sanitária.

Realidade de Ponta Grossa
Especialistas vêm alertando que em um país continental como o Brasil, a pandemia será enfrentada de forma local, de acordo com a realidade de cada estado ou cidade. Segundo os números divulgados pela secretaria de Saúde do Paraná, o estado tem hoje 1407 casos confirmados de Covid-19 e 86 mortes. A taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 30%. Já a cidade de Ponta Grossa tem 13 casos confirmados de Covid-19.

Segundo João, os números foram importantes na decisão. “Em Ponta Grossa o contágio está bem controlado. São treze casos confirmados e acho que sete ou oito já recuperados, sem nenhum óbito. Por isso, a prefeitura publicou um decreto na semana passada liberando as academias. O Ministério Público recorreu, a prefeitura manteve a decisão e o Ministério Público recorreu uma segunda vez. Recentemente, prefeitura e MP entraram em um acordo permitindo a reabertura, desde que respeitada uma série de medidas”, conta João.

É seguro?
O início do afrouxamento das medidas de distanciamento social dentro do cheerleading vai, de certa forma, responder a pergunta na prática. As medidas destacadas pela equipe técnica do Rebellion são reforçadas pelo Conselho Federal de Educação Física, que são até menos restritivas do que as determinadas pelo decreto da prefeitura de Ponta Grossa.

O novo Coronavírus, no entanto, ainda está sendo estudado e, aos poucos, entendido pela comunidade científica mundial. Segundo estudos recentes da Universidade da Califórnia e do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, o coronavírus pode ficar suspenso no ar por até 3 horas e pode ser transmitido pela fala e pela respiração. No caso do esporte, duas universidades europeias – Universidade Católica de Leuven (Bélgica) e Universidade de Tecnologia de Eindhoven (Holanda) – publicaram estudo apontando que, quando o atleta corre ou caminha, graças à respiração mais acelerada provocada pelo esforço físico e pela aerodinâmica, o vírus pode ser levado por microgotículas a até 10 metros de distância. Clique aqui para ler o artigo científico original.

A Associação Paranaense de Cheerleading (APC) destacou em nota que, “desde que respeitadas as medidas de segurança e higiene apresentadas pelos órgãos responsáveis”, não vê problema na reabertura do ginásio e a retomada dos treinos. A entidade destaca, ainda, que devem ser seguidas as políticas municipais e estaduais de isolamento e que treinos em grupo, que não respeitem o distanciamento, não devem ser retomados. Clique aqui para ler a nota oficial da APC.

Arriscado ou não, os treinos do Rebellion serão uma espécie de teste, um olhar para o futuro dos ginásios nacionais, principalmente para aqueles que estão em cidades que vivem uma catástrofe completa causada pelo Covid-19 e que não poderão reabrir com segurança tão cedo, como no caso de estados como o Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco.

 

Texto: Rodrigo Mariano (C1C Rio)
Produção: Nicole Goldstein (C1C Rio), Gabriela Rapp (C1C GO),
Pyter Arêas (C1C Rio) e Isabella Boddy (C1C PR)

Revisão: Isabella Boddy (C1C PR)

Instagram did not return a 200.