Tentativas de acordo fracassam entre as diretorias em exercício da UBC

Não foi longe a negociação entre os grupos liderados por Lara Magalhães e Felipe Leal. Sem encontrar um caminho para unir esforços, a disputa deverá ser resolvida na justiça. 

Depois de uma semana de desencontros e pouco diálogo entre as partes, Lara Magalhães, presidenta da Confederação Brasileira de Cheerleading e Dança, decidiu voltar atrás na tentativa de um acordo.

Os dois grupos chegaram a se reunir em chamada para discutir os pontos que julgavam necessários, mas houve um desencontro de intenções: Lara acreditou que a questão poderia ser resolvida incluindo Felipe em sua equipe como Diretor Esportivo da UBC. Felipe, por sua vez, trazia como pauta a gestão do Team Brazil, a continuidade dos trabalhos da Comissão de Ética e do corpo de árbitros oficiais, e os caminhos para uma nova eleição. Lara considerou as pautas como assuntos periféricos e preferiu encerrar a aproximação. O advogado que representava o grupo de Lara foi demitido no mesmo dia mais tarde. 

O anúncio foi feito aos atletas do Team Brazil nesta quarta-feira por meio de áudios enviados por Isabela Menezelo, parte do grupo liderado por Felipe. “Nós colocamos algumas condições que gostaríamos de propor para o acordo e esperamos uma contraproposta formal da outra parte. Nos reunimos na última sexta-feira, mas nada foi apresentado. Tem várias coisas em andamento na UBC que a gente queria manter (…). A gente queria participar da elaboração do novo estatuto, eleição para comissão de atletas e para as eleições de fato para garantir que estava tudo correto, que nosso advogado fizesse o acompanhamento de tudo. A ideia era um acordo bom para ambas as partes e que rumasse para uma eleição democrática”, conta.

Segundo Menezello, os lados tinham intenções discordantes. “Eles entenderam que esses assuntos levados por nós eram temas periféricos. Nós acreditamos que não. São temas importantes para o esporte. O que era para ser um acordo virou uma oferta para o Felipe. Apenas manter o cargo do Felipe não é o que a gente quer. Isso não é uma real vontade de fazer um acordo, talvez eles nunca tenham cogitado de fato”.

Já para Lara, o fracasso do acordo não fecha definitivamente uma porta: “Da minha parte, sempre estive e continuarei disposta a receber todos que pretendem trabalhar em prol do crescimento do cheerleading e do performance cheer”, declara. 

Caso não haja mais tentativas de acordo, a questão deverá ser levada à justiça. Isso coloca os atletas do Team Brazil de 2019/2020 em uma posição fundamental: como associados da UBC por documentos assinados ao integrar a equipe, eles são hoje o corpo associativo, importante para qualquer decisão judicial sobre o assunto.

  

Texto: Rodrigo Mariano (C1C RJ)
Revisão: Isabella Boddy (C1C PR), Iago Bastos (C1C RJ) e Louise Aguiar (C1C RJ)

Instagram did not return a 200.