Tumbling BRA leva educativos de tumbling a cheerleaders em quarentena

O início da quarentena que ainda deve nos acompanhar pelos próximos meses foi marcado por produções caseiras de conteúdo riquíssimo para o esporte. Entre elas está o projeto que reúne Mônica Queiroz, Rafael Sousa e Camila Fructuoso com um objetivo: provar que com os educativos certos, é bastante possível destravar habilidades acrobáticas depois de adulto.

Foi em 2019 que o Instagram foi conquistado pelo Cheerleading. É claro que as “cheercelebrities” já existiam e usavam a rede como canal para trabalhar sua imagem. Uma marca ou outra também já estava lá, mas perfis com objetivo de fornecer serviço gratuito relacionado ao esporte, como a divulgação de equipes e atletas, criar desafios e concursos virtuais, informar sobre o que acontece no cenário do esporte não existiam – ou não tinham a projeção que alcançariam do final de 2018 ao início de 2020. 

O início de 2020 trouxe um novo boom do cheerleading nas redes. A série “Cheer” da Netflix e o crescimento do TikTok entre os atletas se somaram à quarentena: um período marcado por tempo livre que antes era gasto em deslocamentos e, em alguns casos, no próprio trabalho. Equipes All Star e Universitárias produziram lives e alguns atletas e coaches passaram a dividir suas rotinas de treinos via Instagram. Foi nesse impulso que uma ideia antiga, o Tumbling BRA, saiu dos planos para a realidade. 

O perfil é o @tumbling.bra e a ideia estampada na bio é “desvendar o aprendizado e evolução das acrobacias de forma simplificada e possível”. O perfil ainda está no início das atividades, mas já traz vídeos com educativos para estrela e flic, sempre separados em técnica, físico e mobilidade. O Tumbling BRA traz também alguns posts sobre temas relacionados ao esporte, como equilíbrio e coragem.

Segundo Mônica Queiroz, flyer da primeira geração do cheerleading no Brasil, o modelo dos posts ainda não está fechado. “Ainda estamos desenvolvendo qual será a nossa forma de atuação, como seremos mais eficientes para ajudar o máximo de pessoas possível”, conta.

 

 


“Sinais” do momento perfeito

Investir no projeto foi quase que um caminho natural, segundo Mônica. “Eu e o Rafa (Rafael Sousa)  sempre conversamos sobre como era possível sim aprender tumbling depois de adultos se as pessoas soubessem a forma certa de treinar. Ele é muito bom tecnicamente e sempre disse que precisava da minha ajuda pra levar isso para mais pessoas. Uma amiga nossa, Camila Fructuoso, cursando Educação Física no Canadá e ex-ginasta, comentou que gostaria de criar algo para facilitar o processo para as pessoas que tivessem essa mesma vontade e as mesmas dificuldades no que se refere a aprender/evoluir depois de adultos. Ela falava que queria criar um guia para as pessoas, guia esse que ela mesma gostaria de ter tido acesso e que teria facilitado o processo dela nessa aprendizagem”, lembra Mônica.

Daí até o nascimento do projeto foi rápido. Mônica vinha tendo bons resultados no ensino de tumbling para seus times universitários, algo que considerava um grande diferencial no seu trabalho. “Decidimos, então, juntar todos esses “sinais” e realmente criar a página para produzir esse conteúdo que nós notamos que absolutamente não existe em português. Todos nós e muitos cheerleaders seguem páginas gringas que dão dicas etc, mas a língua deixa menos acessível para muitos. Então resolvemos preencher essa lacuna para ajudar as pessoas e mostrar que é possível sim”, explica.

Planos para durante e após a pandemia
O trio decidiu aproveitar o momento que exige distanciamento social para focar nas bases do tumbling e nas valências físicas que são necessárias para uma aprendizagem mais rápida e segura dos elementos acrobáticos. “Assim que a quarentena passar, temos planos para oficinas, workshops e afins em lugares com uma boa estrutura para que as pessoas possam praticar conosco presencialmente. Agora, a nossa ideia é produzir e entregar muito conteúdo online ensinando as pessoas como treinar, o que treinar, como se ajudarem (spotting) e assim por diante”, conta Mônica.

Ainda remotamente, novidades podem surgir nas próximas semanas. O Tumbling BRA está preparando uma semana de treinos na última semana do mês. “Estamos definindo a plataforma, se será em live no Instagram ou em reunião pelo Zoom, por exemplo, mas é certo que vai rolar. Serão treinos com a gente para o pessoal poder praticar, treinar e tirar dúvidas”, finaliza.

 

Texto: Rodrigo Mariano (C1C Rio)
Produção: Nicole Goldstein (C1C Rio)
Revisão: Gabriela Rapp (C1C GO), Isabella Boddy (C1C PR) e Letícia Conde (C1C SP)
Fotos: Tumbling BRA

Instagram did not return a 200.