Uma reabertura muito especial para o Grand Casino

Depois de meses treinando remotamente, os atletas retornam para um ginásio exclusivo e reformado com a identidade da equipe em todos os cantos.

Grandes apostas nunca foram um problema para a administração do Grand Casino. Depois de duas temporadas em contínuo crescimento, o ginásio enfrentou o período mais duro da quarentena com total dedicação aos treinos à distância.

A reabertura em meados de setembro foi especial para o ginásio. Mais um passo foi dado na direção do sonho da maioria dos gestores esportivos: o espaço exclusivo. Titans, Arkhaios, RCR, Sanca e Rebellion têm nova companhia entre os ginásios com a logo na parede e administração plena do ginásio.

Segundo Guilherme Leite – insone na véspera da reabertura/reinauguração do espaço –, depois de um período sombrio, ele e o marido, Vinícius Lima, também dirigente do programa, agora ao lado de Luiza Borges, nova sócia-proprietária do Grand Casino, decidiram apostar pesado no crescimento e alugar definitivamente o ginásio pelos próximos anos. “A gente se desdobrou para sobreviver no início da quarentena, como os demais ginásios. Estamos felizes de aproveitar ao máximo as oportunidades para crescer”, conta.

Guilherme se refere à frustração vivida em março. “Eu havia voltado do Chile após treinar com RS Chile e conhecer um pouco da rotina do Ginásio. Voltei com a faca e queijo na mão, mas veio a pandemia”. Os treinos à distância começaram duas semanas depois e não vão parar mais. “Seguiremos com um modelo EAD mais ampliado, onde os atletas que optarem pelo EAD terão 3 treinos na semana com turmas reduzidas, melhorando a qualidade e o rendimento dos treinos. Aqueles que retornarem ao presencial terão uma aula na semana e um protocolo de treinos a fazer em casa”, conta Guilherme.

Certos de que não só o ginásio mas o esporte é capaz de sobreviver a um cenário tão caótico como o da pandemia, Guilherme, Vinícius e Luiza decidiram buscar uma casa totalmente dedicada ao ginásio. Depois de buscarem por academias na Barra da Tijuca e no centro do Rio de Janeiro, eles decidiram investir no clube que abrigou o GC desde a sua fundação. “Por fim, pensamos que o clube onde estávamos talvez também precisasse de um auxílio financeiro concreto. E junto com a Luiza conseguimos o ginásio pelos próximos anos, oferecendo junto ao clube a proposta de parceria com as escolas da região”, conta Guilherme.

 

Texto: Rodrigo Mariano (C1C RJ)

Revisão: Gabriela Rapp (C1C GO) e Isabella Boddy (C1C PR)

Arte: Gabriela Goulart (C1C RJ)

Instagram did not return a 200.