Cheerfest se espalha pelo Brasil e conquista SP e MG

Um dos maiores campeonatos nacionais do país acaba de se firmar como a marca com maior amplitude do cheerleading brasileiro. O Cheerfest é o único campeonato que hoje rompe barreiras estaduais e se expande para versões estaduais do badalado Supernational. O desafio não era pequeno: Minas Gerais ainda é um território que apresenta resistências que não aparecem em outros pólos do cheer brasileiro, mas o crescimento brutal do número de equipes mineiras pode estar aos poucos derrubando essas barreiras. São Paulo ainda é um pólo pouco integrado com o resto do país, exceto a presença contínua do Spirit of Titans e Fierce Extreme no All Star e Deliders e UFABC – e outros poucos times – no universitário nos campeonatos nacionais.

No último dia 15 de setembro o 1º Cheerfest Mineiro aterrizou em Belo Horizonte com cerca de 200 atletas e 350 pessoas de público e foi considerado um sucesso pela produção e pelos atletas participantes. “É um trabalho duro, desgastante e necessário fazer um evento dessa magnitude em outro estado, mas topei o desafio. Amo o esporte do qual fui pioneiro no Brasil, e não meço esforços para continuar levando o Cheerleading a todo país”, declarou Cauê Souza, organizador do evento e dono da marca.

Os times que brilharam no Cheerfest Mineiro. Foto: Dênis Braga Tavares / cheerfest / C1C

Dois fins de semana depois, o sucesso se repete. O cheerfest Paulista levou cerca de 450 atletas e um total de 950 pessoas de público ao Ginásio do Bolão em Jundiaí no último dia 30 de setembro. O retorno do público se repetiu: sucesso na organização e na participação dos ginásios e times. “A vibe foi muito positiva, uma vibe de carinho mesmo. Tinha bastante criança, com quatro equipes infantis e muitos pais felizes. Pra mim ainda é surreal escutar de alguém que a marca Cheerfest é uma das mais bem sucedidas do país. É uma mistura de felicidade, trabalho sério, dedicação, muito suor. Foram anos de trabalho. São onze anos me dedicando ao cheer no Brasil com equipes, camps, clínicas e a marca Cheerfest nos últimos 4 anos. A sensação é de gratidão por ter tido a oportunidade de ter conhecido o esporte, por ter voltado ao Brasil, por ter participado do mundial em 2007, por ter iniciado todo esse trabalho e pelas pessoas gostarem e apostarem no Cheerfest”, comemora Cauê Souza, dono e diretor da marca.

Cauê não alcançou os resultados desse mês de setembro sozinho. Tanto em São Paulo como em Minas Gerais, contou com equipes que ajudaram a fazer os campeonatos acontecerem. “Poder contar com pessoas que querem ver o Cheerfest crescer tem sido muito especial. Ainda não temos uma equipe fixa formada, mas estamos caminhando pra isso, desde a parte estrutural, operacional e financeira. Sem uma equipe é impossível expandir porque o trabalho é difícil demais para uma pessoa só. Hoje conto com a ajuda de pessoas que são fundamentais para levar a marca mais longe”, conta Cauê.

Além dos bons resultados nos tatames, o Cheerfest comemorou também os bons resultados da campanha Cheerfest Solidário. Nos dois campeonatos regionais foram coletados mais de 1 tonelada de alimentos que foram doados a instituições que cuidam de crianças e idosos em posição de risco ou abandono.

Um mineiro disputado
As disputas reuniram nove equipes/programas que lutaram pelos títulos de Best Jumper, Best Cheerleader masculino e feminino, Partner Stunt, COED Stunt, Misto Stunt, Best Basket, Stunt All Girl, Pom Dance, além de rotinas nos níveis 1 e 2. O destaque da edição mineira do Cheerfest ficou com o Squad All Star. O estreante no Cheerfest levou a maioria das medalhas de ouro do evento para casa nas modalidades individuais ao lado do Golden Lions e dividiu com o Cruzeiro as medalhas das rotinas. Como resultado, levaram o troféu de primeiro Grand Champion Cheerfest Mineiro para casa, além de R$ 400,00 em prêmios oferecidos pela Trust Cheer Cloting, patrocinadora do evento.

Squad All Star, o Grand Champion do Supernational Mineiro. Foto: Dênis Braga Tavares / Cheerfest / C1C

O caminho para os resultados vinha sendo traçado há um ano. “Nossa equipe participou do primeiro Campeonato Mineiro no ano passado (2017) e o resultado foi maravilhoso. Então já tínhamos alguma experiência com campeonatos maiores. Mas o Cheerfest é muito famoso no Brasil e ficamos muito empolgados quando foi anunciado o primeiro Cheerfest Mineiro! Conhecemos equipes incríveis que nem sabíamos que existiam nesse campeonato. Trocamos experiências e fizemos amizades. Foi sensacional! Sempre temos algo a aprender com o próximo! A energia foi muito boa! Adoramos a união das equipes vibrando umas pelas outras”, contou Marina Costa, da Squad All Star.

As outras equipes também comemoraram. “Foi muito gratificante porque os resultados foram bons, mesmo sendo o primeiro campeonato de 95% da nossa equipe. Classificamos ao menos um atleta em cada categoria que participamos”, conta Rodrigo Borges, coach do Cruzeiro Cheerleading. Para o Golden Lions, aprendizado e cuidado definiram o campeonato. “O suporte que tivemos desde o primeiro contato com a organização do evento, que liberou todas as datas e informações com antecedência e clareza e, principalmente, com o Cauê que foi super disponível pra tirar todas as minhas dúvidas, fez toda a diferença. Além disso a estrutura foi ótima, espaço digno de uma competição e, graças aos deuses do cheer, um cronograma seguido a risca! Acumulamos aprendizados em relação a organização do time, formato e quantidade de treinos e a necessidade de uma rotina limpa e bem marcada. Esses são os pilares que levo desse campeonato e é com base neles que nos prepararemos para o Cheerfest Supernational”, contou Amanda Micaelle, capitã do Golden Lions.


OS CAMPEÕES DO CHEERFEST MINEIRO

[hoot_one_half]

ROTINAS

All Star COED nível 1
OURO: Cruzeiro Cheerleading (81,0)
PRATA: Sky All Stars (78,85)

Universitário COED nível 2
OURO: UFLA Máfia X Cheer (89,3)
PRATA: UNIFEI Tsunami (88,1)

All Star All Girl nível 2
OURO: Cruzeiro Cheerleading (84,15)

All Star COED nível 2
OURO: Squad All Star (90.0)
PRATA: Golden Lions (85,2)

Pom Dance
OURO: Squad All Star (87,0)

INDIVIDUAIS

Best Jumper
OURO: Squad All Star – Larissa Azevedo
PRATA: Squad All Star – Ika Uematu
BRONZE: Cruzeiro Cheerleading – Gabriela de Paula

Best Cheerleader Feminino
OURO: Squad All Star – Morgana Moço
PRATA: Golden Lions – Amanda Micaella
BRONZE: Cruzeiro Cheerleading – Sofia Ferreira

 

[/hoot_one_half]

[hoot_one_half]

Best Cheerleader Masculino
OURO: Eagles – Rodrigo borges
PRATA: UFLA Mafia X Cheer – Gabriel Dalton
BRONZE: Golden Lions – Gabriel Santiago

All Girl Stunt
OURO: Cruzeiro Cheerleading
PRATA: Golden Lions
BRONZE: Squad All Star

Misto Stunt
OURO: Squad All Star
PRATA: Golden Lions
BRONZE: UFOP Locomotiva

COED Stunt
OURO: UFOP Locomotiva Best Basket

Best Basket
OURO: Squad All Star
PRATA: Golden Lions
BRONZE: UFOP Locomotiva

Partner Stunt
OURO: UNESP Pegazus (Cauê e Evelyn)
PRATA: UNIFEI Tsunami (Felipe e Ana Paula)
BRONZE: UFOP Locomotiva (Guilherme e Alexandra)

GRAND CHAMPION
Prêmio de R$ 400,00 da Trust Cheer Cloting
Squad All Star (90,0)[/hoot_one_half]


O Caaso Falcons, Grand Champion do Cheerfest Paulista. Foto: Dênis Braga Tavares / Cheerfest / C1C


Um paulista de respeito

Responsável por boa parte das raízes do cheerleading no Brasil, o cheer paulista se fez representar em peso no dia 30 de setembro. Equipes tradicionais e reconhecidas no cenário nacional, como o Fierce, Titans e UFABC disputaram nas 24 categorias da edição paulista do Cheerfest. Jonas Dias, coach do Fierce Extreme falou sobre o campeonato. “Eu e Patrícia, como coaches, adoramos a edição paulista do Cheerfest. Cauê é muito solícito e isso faz o campeonato sempre mais fácil para as equipes. Nossos resultados foram bons e continuaremos treinando para o Supernational”, destaca Jonas.

A recepção do Fierce Kids também foi um ponto alto para o coach: “Todos gostaram muito e isso é muito legal, porque incentiva o esporte desde a infância dos atletas. O Fierce inteiro adorou, os atletas saíram felizes do campeonato, não só pelos resultados, mas também pela integração com outros times, o que é muito importante. Agora é trabalhar para manter os ouros e melhorar ainda mais nossas posições nos pódios, tanto nos individuais quanto nas rotinas. Nossas expectativas para o Supernational estão altas e nós só temos a agradecer a toda a organização do Cheerfest”, conta Jonas.  


OS CAMPEÕES DO CHEERFEST PAULISTA

[hoot_one_half]

ROTINAS

Pom Dance Escolar
OURO: IENEC

Kids COED nível 1
OURO: IENEC
PRATA: Fierce Kids
BRONZE: CTC

Kids COED nível 2
OURO: Fierce Kids

Universitário COED nível 2
OURO: Hawks
PRATA: Cheerlakers
BRONZE: Harpias

Universitário COED nível 3
OURO: CAASO Falcons

All Star COED nível 3
OURO: Lynx All Star

All Girl nível 2
OURO: Red Ghosts

INDIVIDUAIS

Best Jumper Masculino
OURO: UFABC – Guilherme Mantovan
PRATA: Fierce Extreme – Fernando Filho
BRONZE: Spirit of Titans – Leonardo Cordeiro

Best Jump Feminino
OURO: Fierce Extreme – Danielle Rosa
PRATA: Sharks – Ana Carolina Santana
BRONZE: Spirit of Titans – Daniele Akemi

Best Tumbler Masculino
OURO: Fierce Extreme – Jonas Dias
PRATA: CAASO – Antonio Pires
BRONZE: Lynx – Caue Madureira

Best Tumbler Feminino
OURO: Fierce Extreme – Fernanda Xavier
PRATA: Spirit of Titans – Daniele Akemi
BRONZE: Cheer Wolves – Giovana da Silva

Best Cheerleader Masculino
OURO: Fierce Extreme – Jonas Dias
PRATA: Olympus – Roberto Nakazato
BRONZE: Soldiers – Cesar Coelho

Best Cheerleader Feminino
OURO: Ghost – Marina Almada
PRATA: Spirit of Titans – Daniele Akemi
BRONZE: Sharks – Vitória Pinho

 

[/hoot_one_half]

[hoot_one_half]

 

Best Cheer Peewee
OURO: Maria

All Girl Stunt All Star
OURO: Spirit of Titans
PRATA: Fierce Extreme
BRONZE: Lynx

All Girl Stunt Universitário
OURO: Red Fox
PRATA: UFABC
BRONZE: Falcons

All Boy Stunt
OURO: Spirit of Titans
PRATA: UFABC
BRONZE: Blue Hell

Misto Stunt All Star
OURO: Elite Soldiers
PRATA: Spirit of Titans
BRONZE: Fierce Extreme

Misto Stunt Universitário
OURO: UFABC
PRATA: UFABC
BRONZE: UNESP Pegasus

COED Stunt All Star
OURO: Spirit of Titans
PRATA: Spirit of Titans
BRONZE: Spirit of Titans

COED Stunt Universitário
OURO: CAASO
PRATA: Black Bears
BRONZE: UFABC

Partner Stunt All Star nível 4
OURO: Spirit of Titans – Lucas e Bruna
PRATA: Spirit of Titans – Tiago e Ana
BRONZE: Lynx – Cauê e Evelin

Partner Stunt 5/6
OURO: Hardcore – Alexandre e Leila

Best Basket All Star
OURO: Spirit of Titans
PRATA: Fierce Extreme
BRONZE: Lynx

Best Basket Universitário
OURO: USP Blue Hell
PRATA: CAASO
BRONZE: UNICAMP – Black Bears

GRAND CHAMPION
Caaso Falcons

[/hoot_one_half]

Desafios e planos
Diferente do que costuma acontecer em outros eventos, os pontos fracos das duas edições regionais do Cheerfest foram apontados pela própria organização. Segundo Cauê, a autocrítica é fundamental para melhorar cada vez mais o nível dos eventos da marca e faz parte de um trabalho sério e realista para qualquer um que queira organizar campeonatos voltados ao esporte. “O Mineiro foi muito legal, mas não consegui colocar um tatame de aquecimento, algo que pretendo fazer no próximo ano. Também não acho que o som ficou no padrão de qualidade do Cheerfest. Isso também precisa mudar”, conta Cauê.

Equipe Cheerfest Paulista. foto: Denis Braga Tavares / Cheerfest / C1C

Já sobre o Paulista, ele destacou a dificuldade na gestão das muitas apresentações com apenas dois jurados. “Um evento dessa grandeza não funciona com apenas dois jurados. O cronograma foi seguido à risca, todos os times receberam vouchers de alimentação, mas um pequeno problema de nota acabou acontecendo. Não acho que seja um problema dos jurados, mas eles estavam sobrecarregados. Esse é o problema que buscarei resolver no ano que vem: o número de jurados precisa ser compatível com o número de competições para que eles não acabem cometendo erros que não cometeriam se tivessem em uma banca maior”, critica Cauê. O erro na pontuação foi detectado após ma competição, na revisão das notas: O Hawks foi premiado, mas o Caaso Falcons ficou com uma pontuação maior . 

A organização do Cheerfest decidiu, então, solucionar o problema com dois Grand Champions. “Como agora temos dois Grand Champions, daremos dois troféus, dois banners. É impensável apenas corrigir as notas. Preferimos premiar mais, parabenizar os dois times e aprender com o nosso erro”, destaca Cauê. “Os regionais têm sido uma escola, bem como os supernationals dos anos anteriores. Esse ano o Cheerfest vai receber muitas equipes. Grandes encontros que não aconteciam há anos acontecerão lá. Então a gente sabe que precisamos estar bem alinhados para garantir a qualidade que sempre foi o nosso principal objetivo”, finaliza.

Na próxima temporada, além de realizar as segundas edições dos dois campeonatos, o Cheerfest deverá chegar a mais estados. O anúncio deverá acontecer no Cheerfest Supernational. 

 

 

Cobertura e produção:
Dênis Braga Tavares
Vitor Kauan
Amanda Micaelle
Ana Luiza