Fechando a conta do Pan-Americano e Copa Americana de 2019

A medida que os atletas e comissão técnica das equipes Pan-Americanas da Delegação Brasileira da temporada 2019/20 retornam ao Brasil, o hype da competição assenta e os resultados são analisados com mais calma e colocados em perspectiva histórica. No que diz respeito às medalhas, tivemos um ótimo resultado. A Seleção retorna com quatro medalhas inéditas da Costa Rica: dois bronzes e duas pratas. 

Mas isso não é tudo. É preciso uma leitura muito mais ampla para estudar e identificar resultados. As medalhas são, sem dúvida, um dos principais indicativos que compõem os resultados, mas não são o único. O coach da Seleção Brasileira de Cheerleading para a temporada 2019/20, Davi França, concorda com isso e faz questão de destacar os muitos pontos que apontam a campanha bem-sucedida do Brasil na Costa Rica, muito além das medalhas.

“É claro que quando a gente fala de competições, queremos ganhar. Mas analisar resultados vai além disso. A experiência foi sensacional, a vibe dos atletas estava incrível, nós fizemos um esforço para proporcionar a eles a melhor experiência possível na Seleção”, comemora Davi.

O coach destaca que os desafios eram óbvios desde o início, uma vez que a equipe reunia atletas muito diferentes, vários sem skills do nível exigido pela competição, mas que acreditar no projeto fez a diferença. “Nós fizemos o projeto acontecer. Aproveitamos ao máximo os treinos que eram preciosos para montar uma rotina nível 5 com alguns atletas que nunca competiram no nível 4 e sem nenhuma experiencia em grandes competições”, conta o coach.

Para Davi – e para a maioria dos muitos coaches e árbitros que escutamos durante a cobertura do Campeonato Pan-Americano – o projeto foi mesmo um sucesso e fez história: “A seleção conquistou essa medalha inédita para o Brasil e nada vai mudar isso. Não importa se foi perfeito ou não, se foi da forma com que eu imaginei ou não. A gente fez acontecer. Botamos a cara do Brasil nessa competição e os atletas se esforçaram muito. Mesmo desacreditados em alguns momentos, eles não desistiram. Fizemos um bom trabalho e eu não poderia estar mais orgulhoso deles”, finaliza Davi.

Medalhas Pan-Americanas 
O pós-Pan foi de mais competições: equipes All Star, Universitárias e também as seleções de nações participaram no domingo da Copa americana de Cheerleading da International Cheer Union. O campeonato foi realizado no mesmo espaço que recebeu o Pan-Americano, em San José, Costa Rica.

Mais uma vez, o Brasil teve uma boa passagem e trouxe mais medalhas para o país. O Lotus Phoenix All Stars levou o bronze na categoria Freestyle Pom Junior e o Ouro no Freestyle Pom Senior. O Team Brazil Coed Elite voltou ao tatame para trazer a Prata.

Veja abaixo o quadro com a conta final da participação da Delegação Brasileira nos jogos da Costa Rica de 2019.